Resolução criativa de problemas

A criatividade é um conceito abstrato que envolve a produção de ideias originais. É um processo que se desenvolve através da combinação do conhecimento já existente com novas aquisições ou com perspetivas inovadoras de conhecimentos anteriores, ou ainda, através de um rompimento com o passado, emprestando o que já se conhece a novos conceitos.

A criatividade pode ser utilizada para diversos fins e em diferentes contextos de vida. Há quem revele a sua criatividade pela expressão artística, pela forma como se relaciona socialmente com os outros, como desempenha as suas funções laborais ou como resolve os seus problemas. A resolução criativa de problemas encerra em si várias etapas, que devem ser ultrapassadas uma a uma, de forma ordenada, no sentido de potenciar uma resolução adequada e adaptativa. O primeiro passo é a compreensão do problema. Não podemos resolver um problema se não o compreendermos ou não o entendermos como tal. Essa compreensão passa por uma descoberta objetiva dos factos, como por exemplo a gestão do tempo e o estabelecimento de prioridades. Imaginemos que o problema se relaciona com o facto de termos que desempenhar muitas tarefas e muito diversificadas, com limitações de tempo, o que causa muita ansiedade e desconforto. Entendemos o problema, sabemos a sua causa e provavelmente intuímos como seria melhor a nossa qualidade de vida, resolvendo o problema. No entanto, podemos não saber como fazer…

Uma vez formulado o problema, e que no exemplo se prende com a necessidade de executar inúmeras tarefas, ás quais atribuímos um nível significativo de importância e queremos efetivamente cumprir, há que gerar ideias criativas que nos permitam resolver a situação da melhor maneira possível. Provavelmente uma das formas de resolver esta questão é priorizar. Quais são as tarefas mais importantes? Todas! Como poderemos então fazer para conseguimos que todas as tarefas sejam cumpridas, sem que fiquemos exaustos nem extremamente ansiosos se não conseguirmos fazer tudo? È nesta fase que se dá o passo seguinte, a geração de ideias. Esta fase pressupõe a elaboração de uma lista de ideias que poderão contribuir para a resolução do problema. Essas ideias podem passar por fazer uma lista diária de tarefas, recorrendo à criatividade para lhe dar a forma e os detalhes necessários para que nenhuma fique esquecida. Organizar o tempo de modo a rentabilizá-lo da melhor forma, como por exemplo, aproveitar o tempo passado nos transportes na deslocação para a escola ou para o trabalho e utiliza-lo para ler, estudar, usar o telefone para resolver alguns assuntos práticos do dia-a-dia, pode ser outra das ideias a registar.

Ainda no âmbito da geração de ideias, modificar hábitos de sono, como passar a deitar mais cedo, descansar e dormir o suficiente para nos sentirmos mais confortáveis e com melhores capacidades cognitivas durante o dia, é outro exemplo a colocar no conjunto de ideias a explorar. Calendarizar e programar tarefas, dar atenção aos prazos estabelecidos para a entrega de trabalhos, relatórios, exames, pagamentos de contas, etc. Delegar tarefas nos colegas de trabalho, restantes elementos da família ou amigos, agendar tarefas fixas semanais nos dias de menor exigência na escola ou no trabalho, comprar algumas vezes comida feita em vez de gastar muito tempo a cozinhar, enfim, poderíamos acrescentar também estas ideias à lista, de acordo com o problema definido e as possibilidades reais de cada um de nós.

Depois de geradas tantas ideias quanto a nossa criatividade e necessidade nos permitirem, há que descobrir soluções. Que soluções se poderão aplicar a cada caso/problema que sejam exequíveis, adequadas e práticas? Teremos que experimentar algumas das ideias geradas e verificar até que ponto nos ajudam ou não, na resolução do problema, passando de seguida à planificação da ação. Planificar pressupõe selecionar um conjunto de ideias e por em prática, testar, corrigir ou modificar tantas vezes quantas as necessárias, até que cada pessoa encontre a melhor forma de resolução do seu problema. A última fase do processo refere-se à descoberta da aceitação. É a fase em que verificamos se a nossa escolha foi útil e adequada, se o problema foi efetivamente resolvido. Devemos observar com atenção a efetividade das nossas estratégias e se possível generalizar a sua utilização a outros contextos/problemas. A utilização de formas criativas de resolução de problemas ajuda a desenvolver novas competências e a aplicar novos conhecimentos á geração de novas ideias, na resolução das mais variadas situações.

A criatividade faz parte da vida e podemos expressa-la nos mais diversos domínios. É necessário que seja estimulada através da curiosidade, flexibilidade, tolerância, capacidade de observação, reflexão e aceitação de desafios.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s