Comunicar: falar e não só…

LinguagemNos seres humanos, a capacidade de comunicar através da fala é inata, sendo aperfeiçoada e utilizada ao longo do seu desenvolvimento.

A comunicação verbal pode revestir-se de diversas formas e alternativas de utilização. Podemos falar diferentes idiomas, o mesmo idioma com variantes de pronuncia, tons de voz diferentes, diferentes ritmos, enfim, dispomos de uma diversidade de modos de falar que normalmente adequamos a cada situação. O modo como cada um de nós comunica através da linguagem pode ser muito revelador da nossa personalidade, estado emocional, identidade pessoal e social, enfim, sobre aquilo que somos. Ao comunicarmos pela fala, podemos diversificar no vocabulário que usamos e podemos utilizar as palavras de diferentes formas. O discurso e as frases que formulamos podem ter diferentes intenções: perguntar, pedir, informar, declarar, etc. O sucesso da comunicação verbal depende muito da forma com que se transmite a mensagem. Existindo vários estilos de comunicação, entende-se como mais eficaz o estilo de comunicação assertiva, em que a mensagem é transmitida de forma clara, firme e directa, respeitando obviamente a posição, o ponto de vista e o entendimento do seu interlocutor.

Comunicação verbalHá vários factores a ter em conta quando comunicamos pela fala. Um deles é o ajustamento, ou seja, a capacidade de adaptação entre o emissor e o receptor, que se traduz numa adequação do tom de voz, do volume e do ritmo do discurso, no sentido de facilitar a comunicação entre ambos. A escolha das palavras a utilizar é outro aspecto relevante para uma comunicação eficaz. É necessário adequar o vocabulário à capacidade de compreensão do interlocutor, quer em termos de idade, do nível de entendimento da língua em que se está a comunicar, ou até mesmo do estatuto hierárquico que ocupa.

CominicaçãoA interacção social e a comunicação com o outro, não se limita à utilização da palavra falada, havendo também comunicação mesmo quando se está em silêncio. Ao utilizarmos a comunicação não-verbal ou a linguagem corporal estamos também a comunicar, mas sem palavras. Mesmo sem nos apercebermos, conseguimos comunicar e revelar bastante acerca de nós próprios, através deste tipo de linguagem. A postura corporal, a expressão da face, a existência de contacto ocular e o modo como este se expressa, assim como a distância a que nos colocamos do nosso receptor, podem ser elementos bastante reveladores. O contacto ocular assume uma enorme importância quando comunicamos, em particular quando estabelecemos um primeiro contacto com alguém, revelando que lhe estamos a prestar atenção. Enquanto conversamos, o contacto visual ajuda-nos a manter a interacção e a enviar sinais adicionais ao nosso interlocutor. Quando falamos em grupo, o contacto visual deve ser direccionado para cada um dos participantes, alternadamente, para que nenhum se sinta excluído. No entanto, o contacto visual não deverá ser fixo e excessivo, pois poderá incomodar e fazer com que o receptor se possa sentir desconfortável com a interacção. Deste modo, o olhar deverá ser directo mas com alguns desvios descontraídos,  de modo a tornar a comunicação mais agradável e tranquila.

Comunicação não verbalA postura corporal, como a posição das costas, podem mostrar o à vontade ou a inibição da pessoa. Uma postura de costas curvadas e o olhar baixo podem revelar o desconforto e a ansiedade da pessoa que comunica. Por outro lado, um discurso emitido de costas direitas e olhar firme pode ser sinal de descontracção. As mãos são também elementos importantes na comunicação. Os gestos que fazemos com elas podem acompanhar e ser coerentes com aquilo que verbalizamos, ou pelo contrário, podem ser incongruentes com o discurso. A expressão facial é igualmente importante como forma de comunicação não verbal. A expressão do nosso rosto pode dar ênfase e acentuar o que estamos a dizer, ou pelo contrário, pode, à semelhança dos gestos das mãos, estar em desacordo com as palavras que emitimos. Se tentarmos por exemplo, dar uma má notícia a alguém com um sorriso no rosto, a mensagem não vai ser clara e o nosso interlocutor irá ter dificuldade em entendê-la no seu todo.

FalarAlgumas pessoas, principalmente as crianças, podem apresentar algumas dificuldades ao nível das competências sociais e podem não conseguir identificar as diferentes emoções (tristeza, alegria, nojo, medo…), veiculadas pelas expressões faciais, podendo agir de forma não concordante com essas mesmas emoções. O tom de voz e as suas oscilações podem dar ênfase aquilo que estamos a dizer e pode também ser muito revelador sobre o que estamos a sentir no momento. Se estivermos tristes ou deprimidos, o nosso tom de voz pode ser mais baixo e o ritmo mais lento. Pelo contrário, se estivermos a viver um momento de grande alegria, o tom de voz é tendencialmente mais alto, um ritmo mais rápido e uma forma mais efusiva, podendo as palavras utilizadas, serem idênticas. De um modo geral, uma voz calma e segura, pode atrair mais a atenção do outro e veicular maior credibilidade na mensagem.

Outra forma de comunicar é a aparência pessoal, ou seja, o modo como nos apresentamos, diz também muito sobre o momento da interacção, assumindo maior importância num primeiro encontro. Por exemplo, o modo como nos vestimos, como usamos o cabelo, os acessórios, etc. podem dar indicações acerca de nós e levar o outro a tirar conclusões sobre aspectos que podemos não abordar verbalmente. Por fim, a distância interpessoal mantida entre as pessoas durante a comunicação, é variável consoante a cultura, as normas sociais, o tipo de relação existente, etc. Na cultura portuguesa, podemos definir 4 distâncias a que chamamos zona íntima, zona pessoal, zona social e zona pública. Habitualmente, se a relação entre emissor e receptor for próxima, a distância observada na interacção será menor e pelo contrário, se a relação for distante, maior será a distancia mantida. Quando esta ordem se inverte, a pessoa pode experienciar grande desconforto, quer pela proximidade excessiva numa relação que se pretende ser distante, quer pela distância mantida numa relação de intimidade.Linguagem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s